Caros Leitores

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino". A educação precisa tanto de formação técnica e científica, como de sonhos e utopias.
Sejam Bem Vindos!



████████████████████████████████████
████████████████████████████████████
████████████████████████████████████

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Deu início a segunda etapa dos mini cursos do Programa PEAS na Escola Estadual Israel Pinheiro


Iniciou nessa ultima terça – feira 17 na Escola Estadual Israel Pinheiro a segunda etapa dos mini cursos de teatro e dança do Programa de Educação Afetivo Sexual – PEAS.
Nesses dois meses em que estão acontecendo as aulas do Programa PEAS a coordenação do projeto concluiu que a primeira etapa foi desenvolvida com sucesso, uma vez que os alunos participaram efetivamente da formação inicial através da sensibilização, vínculos de: comunicação, cooperação, desenvolvimento de habilidades e competências (talentos), liderança partilhada, confiança, mecanismo de regulação e estabelecimento dos vínculos afetivos.



O professor do Programa de Educação Afetivo Sexual da Escola Estadual Israel Pinheiro, Gustavo Júnior disse estar satisfeito com a implementação das primeiras ações acontecidas, são cerca de 30 adolescentes e jovens protagonistas do GDPEAS que em um futuro breve poderá repassar os recursos adquiridos nos mini cursos aos demais alunos da escola.
O professor Gustavo Júnior ressaltou ainda que os novos tempos exigem mudanças, que serão alcançadas através do comprometimento e energia que levam à ação. Para isso precisamos de pessoas mais ativas, capazes de transformar a si mesmas e a realidade, usando a força grupal para construírem os seus caminhos!
A coordenadora do PEAS professora Paula, acredita em confia no trabalho realizado até o momento e percebe as mudanças ocorridas em torno da escola através destes mini cursos, entendemos o efetivo diálogo entre diferentes olhares, espaços e tempos sociais e, uma efetiva ação baseada na solidariedade e na comunhão de objetos e valores. A cooperação é promotora de redes de fazeres e saberes que contribuem para o crescimento do grupo e emancipação social dos seus participantes, permitindo a invenção coletiva de um novo espaço de convivência, afirmou Paula.


Nenhum comentário:

Postar um comentário