Caros Leitores

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino". A educação precisa tanto de formação técnica e científica, como de sonhos e utopias.
Sejam Bem Vindos!



████████████████████████████████████
████████████████████████████████████
████████████████████████████████████

domingo, 26 de setembro de 2010

A Arte e a Cultura no Espaço Educativo


Para que esta afirmação se torne uma realidade, acredito que é através do espaço educativo que se possa efetivamente dar uma contribuição no sentido de possibilitar o acesso à arte a uma grande maioria de crianças e jovens.

Sendo a escola o primeiro espaço formal onde se dá o desenvolvimento de cidadãos, nada melhor que por aí se dê o contato sistematizado com o universo artístico e suas linguagens: artes visuais, teatro, dança, música e literatura. Contudo, o que se percebe é que o ensino da arte está relegado ao segundo plano, ou é encarado como mera atividade de lazer e recreação. Desde o profissional contratado, muitas vezes tendo que lidar com os conteúdos das linguagens de forma polivalente, até o pequeno número de horas destinadas ao ensino das linguagens artísticas.

O ensino da arte deve estar em consonância com a contemporaneidade. A sala de aula deve ser um espelho do atelier do artista ou do laboratório do cientista. Neles são desenvolvidas pesquisas, técnicas são criadas e recriadas, e o processo criador toma forma de maneira viva, dinâmica. A pesquisa e a construção do conhecimento é um valor tanto para o educador quanto para o educando, rompendo com a relação sujeito/objeto do ensino tradicional. Este processo poderá ser desafiador. Delimite-se o ponto de partida e o ponto de chegada será resultante da experimentação. Dessa forma, o ensino da arte estará intimamente ligado ao interesse de quem aprende.

Esta maneira de propor o ensino da arte rompe barreiras de exclusão, visto que a prática educativa está embasada não no talento ou no dom, mas na capacidade de experienciar de cada um. Dessa forma, estimula-se os educandos a se arriscarem a desenhar, representar, dançar, tocar, escrever, pois trata-se de uma vivência, e não de uma competição. Uma proposta em arte que parta deste princípio traz para as suas atividades um grande número de interessados. Estas crianças e estes jovens se reconhecerão como participantes e construtores de seus próprios caminhos e saberão avaliar de que forma se dão os atalhos, as vielas, as estradas. A arte fará parte de suas vidas e terá um sentido, deixando de ser aquela coisa incompreensível e elitista, distante de sua realidade.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

“Corpo Negro” Grupo Cultural Afro – Brasileiro do CAIC faz homenagem a dois grandes Ícones da Educação.


Aconteceu nesse ultimo sábado 28 na praça da prefeitura mais um PELC Projeto Esporte Lazer e Cultura, o “Corpo Negro” Grupo Cultural Afro – Brasileiro fez uma linda homenagem a duas estrelas da Educação que contribuíram com o nosso crescimento e nos contagiou com seu amor e alegria ás Professoras Luzia Marquês e Bárbara Luiza.



Com o espetáculo de dança/teatro “Um dia no sítio do pica pau amarelo” os Professores do “Corpo Negro”, Gustavo Júnior e Lourymar Alves Oliveira em uma surpreendente produção o grupo encantou os espectadores em sua nova apresentação. Visando resgatar as histórias do magnífico autor Monteiro Lobato com um show de brilho, cores, brincadeiras e alegrias.


O professor de educação Infantil do Centro Educacional ANEF, Victor Carvalho foi o principal responsável em apresentar toda a história, com o personagem Visconde de Sabugosa o professor/ator desenvolveu em cena técnicas teatrais de improviso, expressão corporal, facial, percepção espacial, dramatização, entre outros.

O núcleo de cultura do CAIC que tem como coordenadora a professora Débora Azevedo, teve um papel fundamental nesta belíssima homenagem, a professora de artes Gorete fez um brilhante trabalho de pintura fácil nos alunos do “Corpo Negro”.



A Secretaria de Educação, Alciene Franco ficou muito contente com a participação do CAIC sendo uma excelente oportunidade de conhecer de perto o trabalho dos professores, que é bem mobilizado e organizado, e saber como a Secretaria de Educação/Esporte e Lazer poderá auxiliar na construção da política cultural da cidade, a partir dos seus agentes culturais, num trabalho plural – disse, enfatizando que o PELC tem boas perspectivas de gerar talentos de qualidade no município.



O professor e coreografo do “Corpo Negro” Grupo Cultural Afro – Brasileiro Gustavo Júnior, parabenizou todos os alunos, agradeceu a presença da Diretora Geral Hilda Müller, Diretora da Escola Marília Abdulmassih, Diretora Administrativa Ana Luisa Pineto, Diretora Pedagógica Dinair Caldeira, Coordenadora do Período Integral Lilian Moraes Teodoro e Rose Paiva.
Gustavo Júnior ressaltou ainda que o “Corpo Negro” a partir do mês de agosto conta também com a coordenação da professora Lourymar Alves Oliveira hoje vice diretora do CAIC, essa parceria com certeza veio acrescentar cada vez mais qualidade técnica no grupo de dança, por ter experiência na área a professora Lourymar Oliveira se mostra motivada em dar continuidade na cultura afro – brasileira e afins.